sábado, 26 de dezembro de 2015

Entre outros...


Sempre gostei de escrever sobre um momento que eu tivesse passando na vida, pois as palavras correm tinta afora, sem eu nem precisar fazer esforço. Ultimamente ando com tantas coisas na cabeça, meus meses só se resumem a pensar em passar em uma faculdade e o que eu estou fazendo para que esse desejo se realize. Tenho me sentido vazia demais.
Realmente esse lance de que dizem que lugares cheios, estão repletos de pessoas vazias, é a mais pura verdade. Tenho saído demais, frequentado festas, barzinhos, apenas afagando os meus vazios. Tenho me embriagado constantemente, é mais fácil lidar com a realidade, quando se está alcoolizado. Tenho vivido falsas ternuras, falsos amores, apenas casos ilusórios, coisas da minha cabeça...Um psicólogo daria jeito, mas talvez ele também precise de um, com tanta neura assim, é capaz de enlouquecer junto de mim. Então, me resta a leitura, a escrita, onde nela deságuo toda a minha dor, todas as minhas lamúrias, dia e noite, ou dia após dia. Afinal, nenhum dinheiro no mundo consegue suprir o quão bom é e continuará sendo desabafar em linhas, folhas e mais folhas brancas, esperando para serem usadas e armazenadas com explosões de sentimentos. Isso vai depender do momento pelo o qual o eu lírico estiver passando. Acima de tudo, o autor no geral se sentirá melhor, mais leve e renovado, assim como eu me sinto toda vez que tenho a oportunidade de escrever.

A vida é literatura demais para o meu papel. 

Sobre escrever...



Nunca me considerei escritora
Escrevo porque gosto e quando não escrevo, quase não há vida
Vida essa cruel demais, para não recriar
Reinventar histórias, diálogos, sorrisos, vidas
Semear
Assim vejo a escrita, a literatura, o dormir
Tudo vira poesia, poema, frases bonitas
Tudo vira novo, belo, diferente
O escritor passa a respirar letras e falar poesia
Um dia hei de me considerar escritora. (Vandréia Barbosa)


Cheirar poesia, deixa a gente tossindo palavras. (Renata Andrade)

Gostar...


Não é apenas dizer que gosta
É se doar por inteiro
É dedicar-se ao máximo
É transformar o companheirismo
Em amor
Parceria
Cumplicidade
É ficar feliz pelo próximo
Com o sorriso do próximo
É ver amor nas coisas mais simples da vida.


terça-feira, 6 de outubro de 2015

Apego x Desapego


Dia desses vieram me perguntar o porquê do status do meu whatsapp ser ''turn the page'', é uma música do Maroon Five, que por sinal, amo de paixão. Enfim, significa ''vire a página'', e com isso me chamaram de ''desapegada''. Não sou desapegada, só trabalho o amor próprio, porque pra falar a verdade sou a pessoa mais apegada do mundo, estou aprendendo a lidar com isso ainda.
Pois sou do tipo que mal conheço uma pessoa, já fico imaginando a nossa casa, os nossos filhos, e qual faculdade eles farão. Sou do tipo que se apega, mas não pega, soa até engraçado, como eu digo sempre ''Seria cômico, se não fosse trágico”. Eu sou o tipo de garota que teve que aprender, como é não ter mensagem no dia seguinte, nada de ligação, desse negócio de ficar por ficar e zero apego. (Juro pra vocês, até li Não se apega, não! – Isabela Freitas). Pois é, mas não é fácil queridos. Estou numa constante do Thiago Brava, tentando praticar a lei do desapego. Acho que a questão do apego fácil, é mais um quesito de carência do que realmente apego. E ás vezes na vida a gente tem que esquecer o que queremos, pra começarmos a entender o que realmente merecemos, eu acredito sim que temos que ter desapego ás coisas, mas desapegar de coisas que não nos acrescentam mais nada em nossas vidas. Darmos o primeiro passo para desapegar daquela amizade que não é recíproca, ou esquecer de vez aquele ex. É inevitável dizer não se apegue, não procure, não pense muito, não corra atrás, tente esquecer o que te faz mal. Falando assim até parece fácil fazer isso tudo, sei que não é nem um pouco. Tem um amigo meu que sempre diz “Não se envolve”, e ele reforça sempre que conheço alguém novo. Logo eu que sempre me pergunto “quem é mais sentimental do que eu?’’. E atualmente, eu tenho visto que as pessoas estão muito preocupadas, com medo de se magoarem, e quando conhecem alguma pessoa logo pensam em não se envolverem, não se apegarem, eu não consigo ser assim. Se envolvam sim, se apeguem sim, a vida é curta demais pra não ter vários amores. Se for pra desapegar de alguém ou de algo, que seja de coisas que já não te fazem mais bem, e se for pra se apegar, que seja recíproco. Viva o amor!

p.s não estou amando


Amizade Colorida


Amizade entre homem e mulher realmente existe? Ou não? Quando eu pensei  em escrever sobre esse tema, pensei que deveria passar por algo desse tipo, pois só assim saberia o que dizer. E eu passei, e não foi uma das melhores situações vividas por mim, pois é. Na minha concepção, sim, amizade entre homem e mulher existe, tenho uma amizade que dura um pouco mais de quatro anos, e considero o menino um irmão mais velho. Já tivemos muitos baixos e altos, mas nada em relação a querer transformar a nossa amizade em namoro, isso nunca aconteceu entre nós. Acho que ele é a minha versão masculina e essa sintonia fez nos tornamos tão próximos, e sempre dissemos para nós mesmos que não perderíamos uma amizade para algo que não poderia dar certo. Não pisaríamos em falso, se tínhamos o chão firme. E é aí que entra a amizade colorida, tenho um outro amigo que é exatamente assim. Temos uma sintonia maravilhosa, e nos deixamos levar pela carência e pelo momento e virou uma amizade colorida. Não aconselho a ninguém, porque isso é complicado, envolve o carinho que vocês tinham na amizade, com o que poderia nascer daquela amizade, e os sentimentos ficam confusos. A primeira semana é só vergonha, depois é vergonha com dúvida, depois vergonha com dúvida com arrependimento, depois indagação. Passa a haver ciúme, de ambas as partes, então o que antes era simples, passa a ser confuso e complicado. Como se fosse um cálculo difícil de resolver, e eu não sei resolvê-los, pois sou de humanas. É colocar em risco uma amizade, eu tive sorte pois a nossa amizade fortaleceu, mas sim ficamos com vontade de colocar os famosos pingos nos “is”. A minha pergunta é Vale a pena correr o risco? Se sim, se jogue, mergulhe de corpo inteiro, caso contrário, se acha que o passo não vai ser firme, nem pise. Mais vale uma amizade verdadeira, do que um amor passageiro.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Até breve!



TODAS AS MANHÃS, ELA DEIXA OS SONHOS NA CAMA, ACORDA E PÕE SUA ROUPA DE VIVER... CLARICE LISPECTOR

Ela sorri o dia inteiro e a noite desaba no travesseiro... Essa frase tem resumido os meus dias, e o meu mês pra ser exata. Desde a morte da minha avó 20-08-2015, eu ando assim...pra baixo, deprimida, porém sorrio e vivo todos os dias bem, porém é preciso vestir a máscara da vida. Eu não passei um dia se quer sem pensar nela, sem lembrar dela, do cheiro dela, ah vó que saudade, se eu pudesse lhe dizer mais vezes o quanto eu te amo... O quanto eu sinto a sua falta e durmo pensando na última vez que nos vimos, na sua voz... Fico ecoando a sua voz na minha cabeça, desejando que você apareça pra mim em sonho. Insano? Com certeza, mas o luto nos deixa assim. Desde o meu último post 27-08-2015 sobre a sua morte, eu tentei não chorar mais, não pensar mais, mas é inevitável. Eu estou com tanta saudade da senhora, que meu peito chega a doer, não tem um dia que eu não pense no meu avô naquela casa, não tem um dia que eu não peça a Deus, que conforte o coração dele, das minhas tias e do meu pai. Como eu queria ter ido me despedir de você vó, ter lhe dado o último beijo, o último cheiro, como me arrependo. Se bem que as circunstâncias não favoreceram, mas eu daria tudo; toda a riqueza do mundo, só para poder vê-la outra vez. Não consigo aceitar e entender... Por que você se foi tão cedo? Você era uma pessoa tão boa, tão querida, me parece que esse mundo além de desigual, não é nem um pouco justo. Eu sei que há um Deus acima disso tudo, maior do que todas as coisas e que tem um projeto para a nossa família, preciso crer nisso, pois só assim eu me reconfortarei, preciso apaziguar e acreditar, isso se chama fé. Só é necessário crer, não é preciso entender. Muitos acham que é fácil superar uma morte, um luto, quero dizer que não é, não é fácil. Não é porque eu não falo, que eu não sinto. Só o tempo pra disfarçar a dor, porque a saudade é pra sempre, vai ter dias que ela vai vir com mais forças, e vai ter dias que apenas vai arranhar, e não vai doer, porém os dias que doerem serão os mais difíceis. Agora não sei o que fazer, como lidar com isso tudo. Já é madrugada, os olhos inchados, a cara ensopada, o rosto colando, e a cabeça a mil, latejando. Eu daria a minha vida pela sua, eu sou nova, só tinha dezenove anos, não tenho filhos, nem casa, nem uma faculdade eu fiz ainda. Eu tanto pedi á Deus que me levasse e lhe curasse... Quando a senhora estava no hospital as minhas orações só se resumiam a “Senhor pai, cura a minha avó e em troca me leva...”. Mas acho que Deus não me ouviu, e já era tarde demais. Não estou falando coisas horrendas, só estou dizendo que “sei como é difícil atender todos os pedidos e que a minha prece é só mais uma na multidão” Será que Deus pode me ouvir?

Dia 20-09-2015 fez um mês da sua morte, foi um dia estranho, ligeiro, eu procurei ocupar a cabeça, fui a praia e a igreja, e lá chorei aos prantos. Eu senti um reconforto, como se eu tivesse voltado pros braços do Pai e n’Ele pudesse encontrar o conforto necessário para a minha dor, para tudo, e eu chorei um choro sem cessar. Eu senti a dor da perda, do luto, do toque do Espírito Santo. No dia 14-09-2015, meu aniversário de vinte anos, uma segunda feira, eu no café da manhã lembrei de você vó, pois você era sempre a primeira pessoa a me dar parabéns, e me ligar desejando as melhores coisas possíveis; eu tive um aniversário perfeito, mas esse é o 1º de muitos que eu sentirei a sua falta! Dia 02-11-2015 será um dia muito, muito difícil, seria o seu aniversário, e que dia triste que será sem você aqui. Será um dia terrivelmente ruim, chuvoso e repleto de saudade e lágrimas. Enquanto escrevo, choro, choro e muito, haja água para me hidratar depois. Que saudade do seu feijão estilo brigadeiro, dos seus picolés caseiros, de você me chamando de caspita ou pentelho encravado, porque eu era/sou chata. Que saudade meu Deus, minha garganta queima, dói, arde, a cabeça explode, não sei dizer, não consigo dizer adeus, apenas um até breve! E o que temos pra hoje é saudade. Vó em sua homenagem, algum dia eu terei uma filha e ela se chamará Elisa ou Lisa, do seu nome Elisabete Gomes.
Eu te amo muito e pra sempre!
Com carinho e amor, de sua neta querida, que tanto lhe ama.

P.s Lágrimas encharcam o meu rosto

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Morte †


Tema e assunto delicado. .. Poucos querem falar sobre, pensar, porque muitos acreditam que atrai. Eu já tenho tendência a pensamentos suicidas, não, não tenho vontade de me matar e nem nunca tive, apenas estou dizendo que penso sobre, penso muito. Tenho o incrível dom de me imaginar morrendo, não sei porquê. É como se na minha cabeça, a minha vida fosse um teatro, eu vou viver, ter um bom trabalho, casar, ter filhos e morrer, porém a cena que falta no meu teatro é a que eu não posso escolher, a morte. Pode soar meio louco, aliás, vai soar, mas já me imaginei morrendo afogada, atropelada, dormindo, já imaginei mil coisas. Não sei dizer exatamente se tenho medo da morte, acho que tenho medo de como vou morrer, pois não quero sentir dor. Aliás, odeio sentir dor, qualquer dor que sinto, tomo remédio, sou hipocondríaca. Enfim, o fato que mais nos deixa abalado, é que não conseguimos aceitar que a morte existe e que chega para todos, hoje faz exatamente uma semana que a minha avó faleceu, desde então choro todas as noites antes de dormir. Penso nela e a imagino de mãos dadas comigo, em um lugar todo branco, com um vestido colorido, que eu amava. Insano? Sim, o luto nos faz ficar assim. Se for necessário que eu crie mil cenas na minha cabeça para conseguir dormir, assim farei. As primeiras perguntas que me vieram a cabeça foram "Por que Deus?", ou "Não consigo entender" "Mas ela era tão nova", "Eu não consegui me despedir". Essas frases se fizeram presente em todas as minhas crises de choro e saudade. Após isso tudo, conclui que o ser humano precisa entender que não podemos controlar as coisas, nem o tempo, nem a vida e muito menos a durabilidade da vida das pessoas que amamos. Vai ser insuportável viver sem tal pessoa? Vai. A saudade vai doer e ser transformada em lágrimas? Sim. Mas é a vontade de Deus, isso para aqueles que creem, para os que não creem estarei falando asneiras. É tudo uma simples e única questão de fé. Entender, que tudo posso naquele que me fortalece. Que posso orar e pedir amparo, que o meu coração ele vai amparar e dar o conforto necessário. Pois, só assim, saberemos enfrentar o luto e a imensa dor da perda. Não há outra pessoa, senão o Pai Celestial para cuidar e amparar nos momentos difíceis. 
Porque vivemos por fé, e não pelo que vemos. 2 Coríntios 5:7

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Meias palavras não me bastam


Sabe, eu sempre fui muito intensa
Ou me dou por inteira
ou nem me dou
Se for pra amar, amarei de verdade
Se for pra sofrer, chegarei ao fundo do poço
Não sei ser rasa
Ás vezes até sofro
Por mergulhar demais
Em superfícies planas, sem fundo
Não há meio termos
E se houvesse meio termo
Meias verdades
Meias histórias
Meias saudades
Ou meias vontades
Eu seria a outra metade
Que juntaria e daria uma parte como um todo
Pois não consigo ser metade

domingo, 5 de julho de 2015

Amo-te


Tantos sorrisos por aí e eu aqui esperando o seu...
Sabe quando você quer ficar nos braços da pessoa e nunca mais sair?
Eu nem pensei, só me joguei de coração
Me entreguei
A saudade nos faz cometer atos insanos
Mesmo depois de tanto tempo
Você consegue me ter
Metade de mim é amor, e a outra metade também, e você me tem por inteira
Você é o abismo, onde eu quero navegar
Me afundar
Esquecer os problemas
Problemas = um nome com cujo endereço
A mesma cena, e o mesmo abraço num constante replay na minha cabeça
Ás vezes uma coisa simples, faz total diferença na vida de outra pessoa
Agi por impulso
Ou será que foi por saudade?
Eu adoro tanto esse teu jeito, amo até os seus defeitos
Quando eu digo que gosto, é pra valer, é sincero e de verdade
Sou franca comigo e com meus sentimentos
Eu sou poeta e não aprendi a amar
Amo´te desse jeito meio torto, errado
Mas além de tudo
Te amo



quinta-feira, 21 de maio de 2015

Decisões, a difícil decisão de sair de casa.



Antes, digamos que há uns dois anos atrás, eu pensava que quando eu estivesse no último ano do ensino médio, tudo seria mais tranquilo. Iludida eu estava. Eu achava que acabaria o ano e no ano seguinte – 2015 – eu entraria na faculdade e partiria sem rumo e sem medo. Nossa quem me dera fosse fácil, fácil como eu pensava que seria quando eu tinha 16 aninhos. Nossa, tudo passou tão rápido... Não consigo nem mais ter noção do tempo. Fecho os olhos e já é noite, me divirto e já é dia. Durmo e passaram-se dias, meses, anos e a vida. Fico pensando se conseguirei deixar meus pais para trás, eles já não são mais os mesmos de 5 anos atrás, eu já não sou mais a mesma. A velhice chega para todos, e nós nos damos conta tarde demais. Eu cresci e amadureci tão rápido que nem me dei conta. Parece que era ontem que eu brincava na rua até tarde, que pulava corda, jogava amarelinha, eita infância boa. É lamentável saber que minha irmã mais nova e meus sobrinhos já não gozarão da mesma infância que eu. É lamentável saber que sentimentos, amores, momentos, não são eternos... Com 19 anos não sei nada da vida, como diria Kid Abelha “Nada sei dessa vida, vivo sem saber...”. Sei que por ser um ano de decisões importantes, está sendo um ano difícil. Ano passado foi um ano difícil pra falar a verdade. Preciso pensar, refletir quais serão os meus próximos passos, que os caminhos sejam estreitos, mas que os passos não sejam em falso. Só peço que eu não perca a fé no amor e eu saiba exatamente como ir adiante. Porque antes o que parecia ser uma decisão simples, hoje já não é tão simples assim. 

Um pouco de Clarice...






}
"Quando não estou escrevendo, eu simplesmente não sei como se escreve. E se não soasse infantil e falsa a pergunta das mais sinceras, eu escolheria um amigo escritor e lhe perguntaria: como é que se escreve? Por que, realmente, como é que se escreve? que é que se diz? e como dizer? e como é que se começa? e que é que se faz com o papel em branco nos defrontando tranquilo? Sei que a resposta, por mais que intrigue, é a única: escrevendo. Sou a pessoa que mais se surpreende de escrever. E ainda não me habituei a que me chamem de escritora. Porque, fora das horas em que escrevo, não sei absolutamente escrever. Será que escrever não é um ofício? Não há aprendizagem, então? O que é? Só me considerarei escritora no dia em que eu disser: sei como se escreve."
 A descoberta do mundo/1984

"Eu disse uma vez que escrever é uma maldição. Não me lembro por que exatamente eu o disse, e com sinceridade. Hoje repito: é uma maldição, mas uma maldição que salva.
Não estou me referindo muito a escrever para jornal. Mas escrever aquilo que eventualmente pode se transformar num conto ou num romance. É uma maldição porque obriga e arrasta como um vício penoso do qual é quase impossível se livrar, pois nada o substitui. E é uma salvação.
Salva a alma presa, salva a pessoa que se sente inútil, salva o dia que se vive e que nunca se entende a menos que se escreva. Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada. Que pena que só sei escrever quando espontaneamente a "coisa" vem. Fico assim à mercê do tempo. E, entre um verdadeiro escrever e outro, podem-se passar anos. Lembro-me agora com saudade da dor de escrever livros."
Crônicas Aprendendo a viver/1968

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Ex- namorado/s, términos e blábláblá



É nascer sozinha, depois de morrer á dois.
Sempre curti demais essa frase, pelo simples fato de me descrever.
É exatamente isso, é muito difícil seguir adiante depois que terminamos um relacionamento. 
Fico perplexa quando vejo conhecidos terminando relacionamentos e na outra semana já estarem namorando novamente. De verdade, pra mim isso é carência, medo de ficar sozinho(a); e o que precisamos na verdade é ficarmos sozinhos, trabalharmos o amor próprio, tiramos um tempo para amarmos a nós mesmo. Inclusive, estou num relacionamento duradouro de um ano comigo, não vou dizer que não há crises, porque tem dias que nem eu mesmo me suporto. 
Quando terminamos um relacionamento, seja por vontade de um só, ou vontade dos dois, sempre carregamos uma mala junto conosco. Mala com lembranças, momentos, beijos, coisas que somente os dois faziam juntos, sim, é assim mesmo. Eu namorei três anos e é exatamente assim que funciona.
Quando a gente ama, a gente tolera, perdoa, passa por cima. O amor nos deixa tão cego, que quando nos damos conta, estamos sendo totalmente insanos, sem percebermos. Eu demorei muito pra entender o quanto eu doava demais, o quanto eu sofria sem necessidade. Por favor, queridos, leiam isso com atenção! Se não está mais sendo saudável para ambos, terminem. Vai doer? Vai 
Mas a longo prazo trará resultados.  Sempre bato nessa tecla. 
O mundo está cheio de pessoas incríveis, legais, dispostas a conhecer outras pessoas assim. Não vou dizer que você vai acabar o namoro e vai surgir milhões de pessoas querendo te conhecer e tals.
Em algumas exceções, isso acontece sim, (não é o meu caso, mas enfim)... Aliás, garotos cadê vocês, sim, estou solteira faz um ano. Acho que toda experiência vale, quando você passa por um desilusão amorosa. Eu amadureci muito, desde o meu último namoro, então hoje eu digo que se eu me relacionasse novamente eu faria tudo diferente sim. Não vou dizer também que seria cem por cento, porque não seria, mas eu evitaria muita fadiga, muitas coisas desnecessárias. E quando saímos de um relacionamento, achamos que nunca vamos achar outra pessoa tão boa, quanto achávamos que fulano era pra gente, saímos meio desajustados, sem saber como flertar novamente, sem saber como a coisa toda funciona. Ficar solteira/o dá trabalho... Mas seguir adiante com uma coisa que nos faz mais mal do que bem, dá mais trabalho ainda. Outra coisa, não sugiro tentar serem amigos logo no início do término, porque aproximação vira recaída, recaída vira namoro novamente e depois d.r. E com figurinha repetida, nenhum álbum se completa. Então, chore tudo que tem pra chorar, que leve uma semana, um mês, um ano, mas chore, coloque pra fora, é comum essa bad pós término. Eu emagreci uns cinco quilos só no primeiro mês. Preciso fazer isso novamente, talvez consiga emagrecer de novo. Estou brincando, mas é sério, eu não comia, aliás eu não sentia fome, eu fiquei bem pra baixo mesmo. Depois ainda tentamos voltar, mas ninguém consegue colar um copo de vidro quebrado, e eu estava assim. Tudo era motivo pra querer jogar na cara todo o sofrimento anterior, todas as brigas, problemas, a traição, pois é a traição. As lembranças dos momentos bons já não eram mais frescas na minha memória, elas apareciam agora apenas como flashes, pois as lembranças ruins tornaram-se constantes. Não foi culpa só dele, eu também tive a minha parcela de culpa. E não conseguimos manter ou criar uma amizade, no início ele ainda gostava de mim, eu era carente, então não prestou. E não vale á pena gente, pense assim ''eu gostaria que meu namorado tivesse amizade com a ex dele'', se a resposta for sim, tudo bem boa sorte, mas caso contrário. Não é o meu caso e o do meu ex, porque nenhum dos dois namoram. Mas mesmo assim, não dá certo ser amigo de ex, claro que se eu o vir na rua, eu cumprimento, mas sair junto na mesma galera, não dá né. Já é desconcertante encontrar os amigos dele nas mesmas festas, imagina irmos todos juntos. Não é questão de ainda haver sentimentos, mas é questão de respeito ao amor próprio do outro. Enfim, é relativamente complicado, sempre será delicado encontrar com ex, independente da circunstância. Então, ocupe seu tempo, se dedique em algo que realmente goste de fazer, curta, saia com as amigas, dance, sorria, se sinta bem com o seu corpo, se sinta bonita por dentro e por fora, porque isso faz toda a diferença. Se olhe mais no espelho e lhe diga mais vezes o quanto você realmente é linda. O quanto o seu sorriso faz bem pras pessoas ao seu redor e você nem sabe. 
Chega desse blábláblá, concluindo, só quero dizer que se não é mais tão recíproco quanto antes, não fique adiando o fim, dê fim ao sofrimento. E anteceda a sua felicidade.
A vida é muito curta para ser pequena. Benjamin Disraeli

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Para um futuro amor...

Para um futuro amor, 
Peço que tenha paciência comigo, eu sou carente, mas não demonstro ser. Vou parecer durona, mas na verdade não sou nem um pouco.  Sou insuportavelmente carinhosa, então vou querer abraçá-lo umas cinquenta vezes por dia e acariciar os seus cabelos, ainda irei beijar seus olhos. Porque pra mim, afeto é tudo. Sou extremamente risonha, meus pais não me levam a sério, então não me leve sempre tão à sério. Sou bem insegura, não gosto que me mande mil mensagens por dia, mas uma ligação ao dia, basta. Um SMS de vez em quando também vale. Eu gosto de flores, orquídeas são as minhas favoritas, mas gosto de todas, rosas, gérberas, margaridas, etc. Amo ursinhos de pelúcia, e amo chocolate, menos o amargo. Sou muito tolerante e paciente, mas não abuse, porque quando fico nervosa, consigo usar o sarcasmo e a ironia e a junção deles não fica muito bacana. Me abrace quando eu estiver estressada, triste, de tpm ou carente. Não precisa saber o motivo só o faça e eu lhe serei grata. Eu amo assistir filme, geralmente os de comédias românticas, choro o suficiente pra ficar com o nariz entupido. Então, não tire sarro da minha cara, tudo bem, uma vez ou outra será permitido. Seja fiel, se não estiver mais disposto a seguir adiante, é mais justo e honroso me dizer, e quem sabe nos tornaremos amigos num futuro próximo. Gosto de coisas simples, de gente simples, tudo o que peço é que seja recíproco. Pois da minha parte será. Gosto de ler e escrever, então se eu estiver muito apaixonada, com certeza você terá um livro de poesias inspiradas em você. Peço que não desista na nossa primeira briga, e que ainda assim,  me ame, mesmo quando me odiar. 
 Vandréia Barbosa 

Dê o fora


De noite os pensamentos mais absurdos me atormentam
Você sempre vem junto
Fico observando o teto, a insônia já virou rotina
Ouço a chuva cair lá fora.
Sinto sua falta 
Abraço a solidão 
Me sinto tão só 
Tentando me recompor
Tentando nascer sozinha, depois de ter morrido à dois. 
Buscando enxergar coisas onde não tem
Preciso parar de nutrir esse sentimento 
Não aguento mais 
De verdade
Por favor, dê o fora 
Dê o fora de mim
Do que resta de mim...

sábado, 11 de abril de 2015

Metas para o mês de Abril...



  • Entender que eu sou completa, que eu não preciso de uma metade. "Eu sou completa, só que quando você está comigo, eu transbordo." 
  • Revelar algumas fotos pro meu mural;
  • Passar na prova prática da auto escola;
  • Estudar pro Enem 2015;
  • Terminar a minha série favorita - Greys Anatomy 11ºTemporada <3 ;
  • Brincar mais com o niki, meu pincher ;
  • Juntar dinheiro pra comprar aquele tênis incrível, que é caro e sim, eu quero;
  • Ler cinco livros esse mês;
  • Ir ao cinema com a minha mãe e a minha irmã ;
  • Fortalecer as antigas amizades;
  • Fazer novas amizades e;
  • Me apaixonar todo dia por mim.

Vida, vida, vida, que seja do jeito que for...

Oi gente, estou meio sumida daqui. Aconteceram tantas coisas desde a virada do ano e eu fiquei de vir aqui contar sobre a faculdade, a auto escola, sobre mil coisas. Enfim o ano virou e com ele eu tentei deixar pra trás um sentimento muito forte por uma pessoa.
Error 404 not found. 
Não consegui logo de início, (ainda não consegui por completo) apesar de trabalhar o amor próprio, sair, conhecer outras pessoas. Não é da noite pro dia que eu vou me apaixonar por outro. E na escola, sim, eu terminei o ensino médio (com o técnico, por isso 4 anos), amém (Graças à Deus). Não vou dizer que não tô sentindo falta, porque tô sentindo falta pra caralhooooo. Me formei em fevereiro, depois de muita greve, me formei com 4 anos e dois meses. E a minha turma muito louca pra variar, fez a festa em Janeiro. Sim, pois era a data que conciliava a presença de todos. Foi uma festa muito louca, foi linda, várias emoções. Tive também a colação de grau, que foi em fevereiro, eu fui a oradora da turma e gente que honra. Fiquei com vergonha, mas no final tudo deu muito certo. Eu fui muito bem elogiada. Fiquei tão grata e muito feliz, surpresa também. Gostaram do meu texto, vou anexar ele aqui no blog qualquer dia. Tive em Janeiro o melhor show da vida, fui no show do Capital Inicial, meu Deus o Dinho Ouro Preto e todos os outros caras são maravilhosos, um pouco drogados, mas cantam e mandam muito. Eu sou uma fã tão retardada, que levei um cartaz. Meus amigos estavam com vergonha de mim, mas ainda sim ficaram comigo. Hahahaha Fui em fevereiro pra Ilha Grande - Angra dos Reis /RJ, que paraíso na terra. Se tem um lugar que eu aconselho ir é pra lá. Meus Deus que sonho que foi ficar uma semana lá. Aconteceram tantas coisas boas em tão pouco tempo. Ahhh fui pra um show muito louco de eletrônica, foi muito bom também, o Happy Holi (conhecido como a festa das cores). Enfim, sobre a faculdade, eu não atingi nota boa o suficiente pra uma Federal ou pra uma bolsa numa particular de um curso que eu quisesse. Fiquei chorosa, mas isso logo passou. E sobre a carteira de habilitação, eu reprovei de primeira, sou uma jumenta mesmo. Aí remarquei a prova e perdi a hora e agora marquei de novo e dessa vez, tem que ir. Agora vaaaaai! Depois trabalhei o verão inteiro numa lojinha de roupa, fiz tantas amizades, passei horas rindo e comendo horrores com o pessoal. Vão fazer falta. E agora o que vou fazer da vida? Por enquanto, estou procurando trabalho, fazendo cursinho pré vestibular e lendo todos os livros que eu comprei e não tinha tempo pra ler. Qualquer dia desses, faço uma postagem sobre todos os meus livros. Só queria dizer que o ano mal começou e eu já tive momentos incríveis. Pra vida valer a pena, só depende de nós mesmos. Beijo grande!

1. Show do Capital Inicial
2. Colação de Grau
3. Festa de Formatura
4. Colação de Grau
5. Happy Holi
6. 7. Viagem á Ilha Grande/RJ



1.2.

3.

4.

5.

6.

7.


domingo, 22 de março de 2015

É preciso saber a hora de dizer adeus...


Maroon Five - Lost Stars 

É preciso saber a hora de dizer adeus
De virar a página
De dar tchau, sem nem ao menos olhar pra trás
Não se permitir, olhar para trás seria o correto a se fazer
Mas sempre me permito
Sempre me prendo em lembranças
Memórias boas
Sorrisos
Momentos
Seu cheiro
Ah
Seu cheiro
Sempre me prendo á você
Logo eu, que sempre fui tão independente
Segura
Cheia de si
Veio você e fez essa tempestade dentro de mim
Vivo em costante ressaca
Ressaca semelhante um mar
Ressaca literária
Ressaca amorosa
É um certo tipo de embriaguez
De onde não permito me manter sóbria
Você é o meu pior defeito
Talvez o meu maior fraquejo
Preciso me manter sóbria
Preciso me reabilitar

Preciso me amar ...

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Que ainda assim, seja amor...



Sabe, ás vezes é como se eu estivesse andando, caminhando sem cessar
A procura de algum sentido existencial, de uma vocação interior
É como se eu vivesse nessa constante busca
Parece que nada faz sentido
Os dias passam devagar
As noites se prolongam
Os pesadelos se tornam constantes
E eu continuo a procurar
Por algo que me prenda aqui
Que me mostre beleza nas coisas mais singelas
Me mostre que a vida não é feita só de aparências
Que podemos ser muito mais do que meros seres
Comparado a essa enorme galáxia
Que podemos ser nós mesmos
E que na verdade
Só precisamos encontrar amor
Amor-próprio
Amor ao próximo
Mas que seja amor.


Confusão de sentimentos


E hoje eu acordei meio assustada, sonhei contigo outra vez.
Foi um sonho bom, mas estou farta de ter você neles, é desgastante.
Fugir de você na realidade e nos sonhos.
É insano.

Preciso me privar desses pensamentos, preciso conter essa confusão de sentimentos.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Antigas amizades


É preciso desapegar das antigas, para que novas floresçam.
Eu demorei tempo demais pra perceber que isso era necessário, eu parar de guardar sentimento por quem não tinha, aliás por quem não tem o mesmo sentimento por mim.
É difícil demais desapegar do velho e dar chance ao novo, desapegar daquela velha amizade cômoda. Que nem sei dizer se ainda posso rotular desse jeito. Eu tenho esse incrível defeito, sempro sinto falta de pessoas que saíram da minha vida sem nem ao menos dizer adeus. Se eu soubesse ao menos o motivo pelo o qual as mesmas saíram. Algumas eu sei, tive até vontade de cantar Roberta Miranda “VÁ COM DEUS”. Outras nem tanto.

Hoje mesmo, passei o dia pensando em como eu era amiga de um menino, e eu me permiti sentir saudade da nossa amizade, ele costumava me chamar de morena e eu o chamava de branquelo. E foi lendo um livro, no qual o personagem chamava sua melhor amiga de branquela que lembrei do meu amigo “branquelo”. Até um tempo atrás tentei reatar a nossa amizade, mas ás vezes precisamos entender que só o tempo cura tudo, só o tempo conserta as coisas, faz esquecer e apagar os ressentimentos. E precisamos desse tempo. Sim, eu sinto falta daquele sorriso gigante, de chamá-lo de branquelo e daquela gargalhada gostosa.  Até da sua mania de ficar corrigindo o meu português, só porque o seu era de Portugal, mil vezes melhor que o meu. Ele era a minha versão masculina, um pouco menos romântico e sensível. Enfim, eu sinto falta dele e espero que esteja bem. 

Resenhando...

Dentro do meu jogo sujo
Nada que acontece é claro
A guerra acontece  dentro do meu ser
Avassala-me e corrói tudo o que há de bom
Nada mais importa
É o meu decreto
Carolina



Dentro do meu jogo sujo
Nada faz sentido
A guerra que carrego no peito
Destrói deixando apenas brasas
Nada mais importa
Não tenho você comigo
E esse é o meu decreto
Vandréia


sábado, 17 de janeiro de 2015

Retrospectiva 2013


Exatamente no dia 31-12-2013, eu estava tomando coragem pra dizer o quanto gostava de um garoto. Que loucura né.  Mas era o que eu precisava fazer pra começar bem 2014, sim, eu falei. Não,  não aconselho fazerem o mesmo, porque deu treta, me apaixonei mais ainda e levei um toco. Mas no final de tudo, viramos bons amigos.  Excluindo esse fato, aconteceram muitas coisas boas na minha vida. Não vou dizer que foram 365 dias de puro amor, de pura felicidade, que não foi. E eu seria hipócrita se disesse que esse ano não foi bom. Foi um ano de amadurecimento, eu amadureci como pessoa, como menina, como mulher. Descobri ser mais forte do que pensava, quando fui colocada em situações difíceis. Esse ano, foi um ano de realizações, eu fui monitora de português, (sim, eu gosto muito de português, porém isso não significa que sou expert, estou em constante aprendizado), fui líder de sala (não é nada fácil ser porta-voz da turma) e fiz parte da comissão de formatura, para muitos isso não importa, pra ser sincera, nem pra mim importava também haha e dá uma trabalheira. 
Vou confessar que houveram dias, em que tive vontade de mandar todo mundo pra aquele lugar, mas eu respirava fundo, pois sabia que o resultado final seria gratificante. Além disso, eu fui contemplada com um programa, onde consegui tirar a minha carteira de motorista (de graça), quer coisa melhor?  (ainda não fiz a prova, torçam por mim).
Esse ano, foi um ano de novas amizades, não sei dizer o real motivo, só sei que fiz muitas novas amizades. E meus pais ainda me chamam de anti-social, af. E sim, vou sentir uma puta falta das amizades. Se me pedirem pra dizer onde eu estarei daqui a exatos dois meses, eu não saberei dizer. 
Esse ano eu fui bem louca, eu criei um snap (me adicionem vandreiabarbosa) e perdi o juízo mental, na verdade eu sempre fui meio retardada, quem me conhece de verdade sabe. A galera na escola passou a me chamar de rainha do snap, cara, a que pinto chegamos. Brinqs, ponto... a que ponto chegamos. 
Sabe, eu passei por cima de muita coisa pra seguir adiante, tantas brigas, tantas bobeirinhas, fofoquinhas, que se eu fosse ligar pra tudo que dizem, eu não sairia de casa. Como diz meu pai "o mundo lá fora é muito cruel, se você não aprender aqui, lá fora a vida te ensina." E é exatamente assim... meu pai um pouco filosófico.
Eu fiz uma amizade que quero levar pra vida, vou nem dizer que é da 
robertinha sem o ponto com, que vão zuar. Eu nunca tive uma menina tão maravilhosa do meu lado, quando eu mais precisei (e não foram poucas vezes). Igual os meus amigos do rj, Rayssa, Daniel e Leticia, quero essas pestes pra sempre na minha vida, pra me fazer rir e me amar. A meiga e doce Débora, gente essa garota é um amor. Coisas que eu quero pra sempreeee na minha vida, são pessoas assim. Foi um ano confuso em relação a sentimentos, relacionamentos amorosos. Uma super dica, se o namoro não está bom, não fiquem adiando o fim. Isso só faz mal pro casal. Como diz Bruno do Jeito Moleque "dói no seu coração, dói no meu coração... chegou a hora do adeus ". E tem que ser assim gente, ficar prolongando dor não leva a nada, chorei tudo que tinha que chorar e superei. Tem tanta gente bacana por aí e ficamos presos demais tentando colar um copo de vidro quebrado. Acabou, agora é só seguir em frente.
 Enfim, esse ano eu me apaixonei mais ainda pelo Caio Castro, sim ainda sou muito fã desse cara, no dia que eu conhecê-lo, (sim, esse sonho se realizará) vou chorar horrores, ai que mico. Me encantei mais ainda por música popular brasileira, sou mega fã do Jorge Vercillo e da Ana Carolina, no dia que eu for no show deles, meu Deus, zerei a vida. rsrs
Esse ano eu vivi uma coisa que nunca achei que iria viver, o casamento dos meus pais, sim eles eram ''ajuntados'', desde que eu nasci, dezenove anos. Daí resolveram casar, era o sonho da minha mãe, fazer o que? Eu me apaixonei mais ainda pelos meus sobrinhos, Rafaela e Filipe, são muito carinhosos, cuido e amo, como se fossem meus filhos. Outra coisa que sempre tenho na escola, é festinha surpresa. Sei que sou insuportável, mas devo ser agradável alguma hora do dia, hahaha. Enfim, é isso, espero que esse novo ano de 2015 eu consiga ingressar numa faculdade, que tire a minha carteira de habilitação, que conheça e viva novos amores e que as antigas amizades prevaleçam, porque fazem muita diferença na minha vida. Obrigado por fazerem o meu 2014 valer a pena.

Taynara Rangel e Roberta Cardozo

 Felipe Cruz

Felipe Cruz

  Roberta Cardozo

  Roberta Cardozo

Ruan Benevides

 Minha festinha surpresa de 19 anos

 Ruan Benevides

Priscila Gonin

 Roberta Cardozo

Victor Peçanha

 Taynara Rangel

 Vó Lucia

 Vó Bete

 Débora Lírio

 Bruna Layber

 Débora Lírio e Lara Valiati

 Taynara Rangel

 Renato Gomes

Camilla Teixeira

 Roberta Cardozo

 André Luiz (Meu pai)

 Victor Peçanha

 Victor Peçanha e Ruan Benevides

 Renato Suzuki

 Camilla Teixeira

 Lara Valiati

 Débora Lírio

 Renato Suzuki

 Lara Valiati e Débora Lírio

 Victor Peçanha

 Rayssa Alves

 Daniel Oliveira e Letícia Marques

Bruna Layber

Felipe Cruz

Victor Peçanha

Victor Peçanha

Victor Gabriel e Carol Godoy

 Luanna Peçanha

Rayssa Alves

Thiago Somolinos

Taynara Rangel e Roberta Cardozo

Casamento dos meus pais

 Mõnica Gomes (Minha mãe)

Victor Gabriel

André Luíz ( Meu pai)


 Felipe Cruz (meu sobrinho)

 Yanka Vivácqua 

André Luíz ( Meu pai)

 Taynara Rangel

 Taynara Rangel e Roberta Cardozo

Roberta Cardozo

 Débora Lírio e Renato Gomes

Débora Lírio

Débora Lírio

 Débora Lírio

Renato Gomes e Roberta Cardozo

Renato Gomes e Débora Lírio

 Roberta Cardozo

 Débora Lírio

Débora Lírio