segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Que ainda assim, seja amor...



Sabe, ás vezes é como se eu estivesse andando, caminhando sem cessar
A procura de algum sentido existencial, de uma vocação interior
É como se eu vivesse nessa constante busca
Parece que nada faz sentido
Os dias passam devagar
As noites se prolongam
Os pesadelos se tornam constantes
E eu continuo a procurar
Por algo que me prenda aqui
Que me mostre beleza nas coisas mais singelas
Me mostre que a vida não é feita só de aparências
Que podemos ser muito mais do que meros seres
Comparado a essa enorme galáxia
Que podemos ser nós mesmos
E que na verdade
Só precisamos encontrar amor
Amor-próprio
Amor ao próximo
Mas que seja amor.


Confusão de sentimentos


E hoje eu acordei meio assustada, sonhei contigo outra vez.
Foi um sonho bom, mas estou farta de ter você neles, é desgastante.
Fugir de você na realidade e nos sonhos.
É insano.

Preciso me privar desses pensamentos, preciso conter essa confusão de sentimentos.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Antigas amizades


É preciso desapegar das antigas, para que novas floresçam.
Eu demorei tempo demais pra perceber que isso era necessário, eu parar de guardar sentimento por quem não tinha, aliás por quem não tem o mesmo sentimento por mim.
É difícil demais desapegar do velho e dar chance ao novo, desapegar daquela velha amizade cômoda. Que nem sei dizer se ainda posso rotular desse jeito. Eu tenho esse incrível defeito, sempro sinto falta de pessoas que saíram da minha vida sem nem ao menos dizer adeus. Se eu soubesse ao menos o motivo pelo o qual as mesmas saíram. Algumas eu sei, tive até vontade de cantar Roberta Miranda “VÁ COM DEUS”. Outras nem tanto.

Hoje mesmo, passei o dia pensando em como eu era amiga de um menino, e eu me permiti sentir saudade da nossa amizade, ele costumava me chamar de morena e eu o chamava de branquelo. E foi lendo um livro, no qual o personagem chamava sua melhor amiga de branquela que lembrei do meu amigo “branquelo”. Até um tempo atrás tentei reatar a nossa amizade, mas ás vezes precisamos entender que só o tempo cura tudo, só o tempo conserta as coisas, faz esquecer e apagar os ressentimentos. E precisamos desse tempo. Sim, eu sinto falta daquele sorriso gigante, de chamá-lo de branquelo e daquela gargalhada gostosa.  Até da sua mania de ficar corrigindo o meu português, só porque o seu era de Portugal, mil vezes melhor que o meu. Ele era a minha versão masculina, um pouco menos romântico e sensível. Enfim, eu sinto falta dele e espero que esteja bem. 

Resenhando...

Dentro do meu jogo sujo
Nada que acontece é claro
A guerra acontece  dentro do meu ser
Avassala-me e corrói tudo o que há de bom
Nada mais importa
É o meu decreto
Carolina



Dentro do meu jogo sujo
Nada faz sentido
A guerra que carrego no peito
Destrói deixando apenas brasas
Nada mais importa
Não tenho você comigo
E esse é o meu decreto
Vandréia


sábado, 17 de janeiro de 2015

Retrospectiva 2013


Exatamente no dia 31-12-2013, eu estava tomando coragem pra dizer o quanto gostava de um garoto. Que loucura né.  Mas era o que eu precisava fazer pra começar bem 2014, sim, eu falei. Não,  não aconselho fazerem o mesmo, porque deu treta, me apaixonei mais ainda e levei um toco. Mas no final de tudo, viramos bons amigos.  Excluindo esse fato, aconteceram muitas coisas boas na minha vida. Não vou dizer que foram 365 dias de puro amor, de pura felicidade, que não foi. E eu seria hipócrita se disesse que esse ano não foi bom. Foi um ano de amadurecimento, eu amadureci como pessoa, como menina, como mulher. Descobri ser mais forte do que pensava, quando fui colocada em situações difíceis. Esse ano, foi um ano de realizações, eu fui monitora de português, (sim, eu gosto muito de português, porém isso não significa que sou expert, estou em constante aprendizado), fui líder de sala (não é nada fácil ser porta-voz da turma) e fiz parte da comissão de formatura, para muitos isso não importa, pra ser sincera, nem pra mim importava também haha e dá uma trabalheira. 
Vou confessar que houveram dias, em que tive vontade de mandar todo mundo pra aquele lugar, mas eu respirava fundo, pois sabia que o resultado final seria gratificante. Além disso, eu fui contemplada com um programa, onde consegui tirar a minha carteira de motorista (de graça), quer coisa melhor?  (ainda não fiz a prova, torçam por mim).
Esse ano, foi um ano de novas amizades, não sei dizer o real motivo, só sei que fiz muitas novas amizades. E meus pais ainda me chamam de anti-social, af. E sim, vou sentir uma puta falta das amizades. Se me pedirem pra dizer onde eu estarei daqui a exatos dois meses, eu não saberei dizer. 
Esse ano eu fui bem louca, eu criei um snap (me adicionem vandreiabarbosa) e perdi o juízo mental, na verdade eu sempre fui meio retardada, quem me conhece de verdade sabe. A galera na escola passou a me chamar de rainha do snap, cara, a que pinto chegamos. Brinqs, ponto... a que ponto chegamos. 
Sabe, eu passei por cima de muita coisa pra seguir adiante, tantas brigas, tantas bobeirinhas, fofoquinhas, que se eu fosse ligar pra tudo que dizem, eu não sairia de casa. Como diz meu pai "o mundo lá fora é muito cruel, se você não aprender aqui, lá fora a vida te ensina." E é exatamente assim... meu pai um pouco filosófico.
Eu fiz uma amizade que quero levar pra vida, vou nem dizer que é da 
robertinha sem o ponto com, que vão zuar. Eu nunca tive uma menina tão maravilhosa do meu lado, quando eu mais precisei (e não foram poucas vezes). Igual os meus amigos do rj, Rayssa, Daniel e Leticia, quero essas pestes pra sempre na minha vida, pra me fazer rir e me amar. A meiga e doce Débora, gente essa garota é um amor. Coisas que eu quero pra sempreeee na minha vida, são pessoas assim. Foi um ano confuso em relação a sentimentos, relacionamentos amorosos. Uma super dica, se o namoro não está bom, não fiquem adiando o fim. Isso só faz mal pro casal. Como diz Bruno do Jeito Moleque "dói no seu coração, dói no meu coração... chegou a hora do adeus ". E tem que ser assim gente, ficar prolongando dor não leva a nada, chorei tudo que tinha que chorar e superei. Tem tanta gente bacana por aí e ficamos presos demais tentando colar um copo de vidro quebrado. Acabou, agora é só seguir em frente.
 Enfim, esse ano eu me apaixonei mais ainda pelo Caio Castro, sim ainda sou muito fã desse cara, no dia que eu conhecê-lo, (sim, esse sonho se realizará) vou chorar horrores, ai que mico. Me encantei mais ainda por música popular brasileira, sou mega fã do Jorge Vercillo e da Ana Carolina, no dia que eu for no show deles, meu Deus, zerei a vida. rsrs
Esse ano eu vivi uma coisa que nunca achei que iria viver, o casamento dos meus pais, sim eles eram ''ajuntados'', desde que eu nasci, dezenove anos. Daí resolveram casar, era o sonho da minha mãe, fazer o que? Eu me apaixonei mais ainda pelos meus sobrinhos, Rafaela e Filipe, são muito carinhosos, cuido e amo, como se fossem meus filhos. Outra coisa que sempre tenho na escola, é festinha surpresa. Sei que sou insuportável, mas devo ser agradável alguma hora do dia, hahaha. Enfim, é isso, espero que esse novo ano de 2015 eu consiga ingressar numa faculdade, que tire a minha carteira de habilitação, que conheça e viva novos amores e que as antigas amizades prevaleçam, porque fazem muita diferença na minha vida. Obrigado por fazerem o meu 2014 valer a pena.

Taynara Rangel e Roberta Cardozo

 Felipe Cruz

Felipe Cruz

  Roberta Cardozo

  Roberta Cardozo

Ruan Benevides

 Minha festinha surpresa de 19 anos

 Ruan Benevides

Priscila Gonin

 Roberta Cardozo

Victor Peçanha

 Taynara Rangel

 Vó Lucia

 Vó Bete

 Débora Lírio

 Bruna Layber

 Débora Lírio e Lara Valiati

 Taynara Rangel

 Renato Gomes

Camilla Teixeira

 Roberta Cardozo

 André Luiz (Meu pai)

 Victor Peçanha

 Victor Peçanha e Ruan Benevides

 Renato Suzuki

 Camilla Teixeira

 Lara Valiati

 Débora Lírio

 Renato Suzuki

 Lara Valiati e Débora Lírio

 Victor Peçanha

 Rayssa Alves

 Daniel Oliveira e Letícia Marques

Bruna Layber

Felipe Cruz

Victor Peçanha

Victor Peçanha

Victor Gabriel e Carol Godoy

 Luanna Peçanha

Rayssa Alves

Thiago Somolinos

Taynara Rangel e Roberta Cardozo

Casamento dos meus pais

 Mõnica Gomes (Minha mãe)

Victor Gabriel

André Luíz ( Meu pai)


 Felipe Cruz (meu sobrinho)

 Yanka Vivácqua 

André Luíz ( Meu pai)

 Taynara Rangel

 Taynara Rangel e Roberta Cardozo

Roberta Cardozo

 Débora Lírio e Renato Gomes

Débora Lírio

Débora Lírio

 Débora Lírio

Renato Gomes e Roberta Cardozo

Renato Gomes e Débora Lírio

 Roberta Cardozo

 Débora Lírio

Débora Lírio