quinta-feira, 5 de abril de 2012

Tempos de Agonia.


Quantas vezes me pego pensando em você?
Nem eu mesma sei responder.
Queria ser capaz de dizer tudo o que sinto quando estou longe...
Nossa estou tão dependente de ti ... a noite sinto falta do teu corpo, 
me acostumei aos seus carinhos...
Nem sei mais o que pensar, isso tudo só pode ser amor;
 aliás não tenho dúvidas de que seja!
De qualquer modo, me acostumei ao seu simples jeito, 
que me cativou de tal maneira, que nem eu mesma sei explicar, apenas escrever.
Gosto tanto desse simples fato, de ter me acostumado á você.
Me adaptei ao seu jeito, seus ciúmes, seus defeitos, seus costumes,
suas caras, pra quê mudá-las?
Gosto tanto, que sinto uma agonia tremenda,
quando passo o dia esperando por sua presença e 
no final recebo uma única esperança, pois você, eu não vejo.
Eu conto os minutos pra chegar o momento exato,
pra eu conseguir sair desse momento de agonia,
 dessa falta instantânea, dessa louca abstinência de você,
dos seus carinhos, do seu simples jeito, de poder lhe dizer outra vez,
 o quanto eu te amo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário